quarta-feira, 7 de junho de 2017

Novo escândalo: " o apito amolgado "

Apito Amolgado: O futebol português está uma vez mais envolvido numa polémica de corrupção. Após, processos antigos terem sido descobertos e condenados, como o " Apito Dourado ", que envolveu emblemas como o Boavista e o Porto, agora, é altura do Tetra- campeão nacional, Benfica, ser suspeito de ter criado um esquema de favorecimento a seu favor. Esta " bomba " foi lançada pelo diretor de comunicação do Porto, Francisco José Marques, que no programa do Porto Canal," Universo Porto ", revelou uma troca de emails, entre Pedro Guerra, diretor de conteúdos da BenficaTv e comentador afeto ao clube, e Adão Mendes, ex árbitro da AF Braga, que deixam no " ar " a existência de um controlo absoluto por parte do Benfica sobre alguns árbitros da primeira liga. Deste modo, os dois visados tratam Luis Filipe Vieira, presidente do clube da luz, como " primeiro ministro " e de ser o principal mentor deste esquema de corrupção. Além disso, as mensagens electrónicas têm frases fortes, que incrementam as suspeitas sobre os títulos ganhos pelo emblema encarnado, uma vez que se escreveu o seguinte" O primeiro-ministro é um grande homem e um grande líder, conheço as suas capacidades. O Benfica manda mesmo e os outros já não mexem nada.", " Hoje, quem nos prejudicar sabe que é punido". O conteúdo dos emails também denunciam os árbitros ao " serviço do Benfica " e são eles " Bruno Esteves, Manuel Mota, Jorge Ferreira, Nuno Almeida, Vasco Santos, Hugo Pacheco, Rui Silva e Paulo Baptista". Estes documentos, que se encontram na posse do Porto foram regididos, em Janeiro de 2014, e já foram enviados pelo clube da invicta ao Ministério Publico, que deverá abrir um inquérito e uma investigação, para estudar os indícios de crime presentes, nestes dados.


 Os Antecedentes do " Apito Amolgado " :



Vouchers: Já não é a primeira vez, que o Benfica é acusado de corrupção, as primeiras tentativas acusatórias foram da responsabilidade do Sporting, através do seu presidente, Bruno de Carvalho, que atirou para a " praça pública ", o caso dos " vouchers ", que consistia na oferta de prendas de valor avultado por parte do Benfica aos árbitros, que estavam incumbidos de ir ao Estádio da Luz arbitrar uma partida de futebol. Apesar da polémica ter estado instaurada durante algum tempo, o processo acabou por não dar em nada e foi arquivado pelas várias instâncias judiciais.



Caso Marco FerreiraOutra revelação, que deixou a equipa orientada por Rui Vitória " debaixo de fogo " foram as declarações de um ex árbitro português, Marco Ferreira, que afirmou ter sido alvo de pressões, por parte de Vítor Pereira, ex presidente do Conselho de arbitragem, para ajudar o Benfica a não obter um resultado negativo, mais concretamente, numa partida com o Rio Ave, jogo em  que o clube presidido por LFV acabou por perder e mais tarde, Marco Ferreira foi afastado das grandes partidas do futebol nacional.


Em suma, estes são alguns dos indícios mais fortes, que " assombram " os títulos ganhos pelo Benfica. Desde já, é importante referir, que os encarnados já reagiram a estas denúncias, titulando as de " absurdas e ridículas " e prometem levá las a Tribunal. Entretanto, Luis Filipe Vieira já adiou uma entrevista marcada para hoje, às 21 horas, na RTP e, por isso, não será possível ouvir ou saber a sua resposta sobre este caso. O que é certo, é que este é mais um caso, que abala o " nome do nosso futebol " e que promete não terminar por aqui.

Sem comentários:

Enviar um comentário