segunda-feira, 10 de abril de 2017

Champions League: Quartos de finais

Champions: Após, uns oitavos de finais que bateram as expetativas, uma vez que se realizaram eliminatórias surpreendentes e históricas, chegou a hora da ronda que vai colocar frente a frente as 8 melhores equipas da Europa. Antes de abordamos os quartos de finais, vamos recuar até aos oitavos e fazer um " review " do que aconteceu. Neste sentido, o detentor do troféu, o Real Madrid, derrotou com alguma naturalidade o Napoli, que apesar da eliminação conseguiu deixar uma boa réplica da sua participação. Por sua vez, o Arsenal foi humilhado pelo Bayern de Munique num total de 10-2 para os alemães, que demonstraram uma total supremacia. Já, o Atlético de Madrid resolveu o seu confronto com o Leverkursen na Alemanha, controlando o resultado de 2-4 no Vicent Caldeiron. Diferente sorte foi a das equipas portuguesas, pois tanto o Benfica como o Porto ficaram pelo caminho aos pés do Dortmund e da Juventus, respetivamente. Por outro lado, o Lesceiter continua com a sua prova de sonho, derrotando o Sevilla no King Power Stadium por duas bolas a zero, seguindo assim a sua caminhada. Por fim, os jogos mais emocionantes foram as partidas que oposeram o Manchester City vs Mónaco e o PSG vs Barcelona. O primeiro encontro, teve o seu primeiro confronto no Ethiad Stadium, onde acabou com um improvável 5-3 para o conjunto de Guardiola, mas no principiado, os franceses foram mais fortes e personalizados e seguiram em frente com um 3-1. Por último, o Barcelona foi a França perder por 4-0, contundo contra todas as expetativas conseguiram a tal desejada " remontada" ao fixarem o resultado final num estodiante 6-1, com 3 golos, nos últimos 10 minutos.
Deste modo, a 17 de Março de 2017, em Nyon, realizou se o sorteio que ditou os embates dos quartos de finais da Liga dos Campeões. Assim, o Bayern de Munique enfrentará o Real Madrid, o Atlético de Madrid irá medir forças com o Lesceiter, a Juventus irá reeditar a final de 2015 com o Barcelona e o Borussia de Dortmund vai lutar por um lugar nas meias contra a sensação da prova, o Mónaco. A primeira mão terá como datas, os dias de 11 e 12 de Abril, enquanto que os jogos decisivos estão marcados para 18 e 19 desse mesmo mês.


Bayern vs Real: Uma final antecipada, pois tanto os alemães como os espanhóis são claros candidatos a erguer o troféu mais desejado da Europa, em Cardiff. Este confronto, também marcará vários reencontros, como o de Ancelotti e Xabi Alonso com os madrilenos e o de Kroos com a formação germânica. Relativamente à eliminatória, esta será equilibrada, mas neste momento, talvez os treta campeões da Alemanha tenham alguma vantagem, uma vez que apresentam uma melhor dinâmica coletiva, pois o Real é conhecido pela sua irregularidade exibicional e o seu fraco jogo coletivo, dependendo mais da ação dos seus principais protagonistas para resolver as partidas. Fator, que poderá ser prejudicial contra o emblema que detém a hegemonia do futebol alemão, que, certamente, explorará o pouco apoio defensivo dado pelos atacantes de Zidane e assim causará supremacia no meio campo defensivo dos " blancos ", que deverá traduzir numa maior posse de bola e de oportunidades criadas para a ex equipa de Guardiola. Porém, é sabido que o clube que possuí mais vitórias, nesta competição, se transcende nos grandes duelos, no entanto, terá de crescer e de sacrificar se mais, se quiser levar de vencida a formação, onde alinha Renato Sanches.

Atlético Vs Leicester: Num duelo que se prevê mais intenso e físico do que propriamente técnico e jogado, o favoritismo terá de ir para a equipa espanhola, pela experiência, pela maturidade, pelo valor dos seus jogadores e por ser nesta prova que mais se tem evidenciado pela positiva, esta época. Contudo, os pupilos de Simeone não poderão cair no erro que está tudo feito e que passarão com naturalidade, visto que enfrentarão o " renascido " campeão inglês, Lesceiter, que após ter vivido um autêntico pesadelo depois do sonho da temporada transata, conseguiu reencontrar se após o despedimento de Ranieiri e, atualmente, vive o melhor período de 2016/2017 com o seu novo treinador, Shekespeare, que parece está a " escrever " uma bela peça de vitórias com a formação britânica. Assim, os ingleses tentarão repetir a receita de " Sevilla ", ou seja, obter um resultado, na primeira mão, que permita sonhar e resolver, depois, no seu recinto. Por outro lado, " los colcheneros " vão procurar controlar a eliminatória em sua casa, para que o segundo encontro passe a ser uma mera formalidade.

Juventus vs Barcelona: Apesar do forte domínio interno da " squadra " transalpina e do seu ressurgimento externo, os " culés " deverão comprovar o seu favoritismo na eliminatória e assim carimbar um lugar na próxima fase. Esta previsão nasce da ideia que o Barcelona não se irá desleixar, nem deixar supreeender da mesma forma que se deixou " apanhar " pelo PSG. Neste sentido, a equipa orientada por Massimo Allegri definirá como principal missão, retardar o golo espanhol. Num momento, que as principais estrelas do campeão espanhol parecem ter acordado, dado que Neymar, Messi e Suarez passam por um excelente período exibicional, atualmente. Porém, a Juventus também merece uma chamada de atenção, porque dispõem de intervenientes de grande qualidade, como Pjanic, Dybala, Pjaca, Higuaín, Dani Alves, Alex Sandro, bem como excelentes " operários ", exemplos disso, é o alemão Khedira, Marchisio, Bonnucci, entre outros. Porém, ao contrário dos jogos com o Porto, a formação de Turim não deverá expor o seu jogo exterior com uma boa circulação de bola e preenchimento de todos os espaços do campo, permitindo lhe dominar ofensivamente e sufocar defensivamente. Com isto, os italianos tem tudo para ser um osso duro de roer, mas que acabará por ser roído e, consequentemente, eliminado.

Dortmund vs Mónaco: Talvez o encontro mais entusiasmante e mais direcionado para o ataque que este sorteio tem para oferecer aos amantes do futebol e seguidores da Champions League. Ambas, as formações apostam num futebol apoiado, ténico, ofensivo e galvanizador. Em primeiro lugar, temos um Borussia que através de fortes transições lançadas pelos seus homens do meio campo ( Weigl, Gonzalo Castro, Pusilic, Kagawa ) tentam executar movimentos de rutura que rasgam qualquer defesa, bem como aproveitar a profundidade oferecida pelos seus avançados ( Aubameyang, Reus, Dembele, Emre Mor ) com a finalidade de materializar, esta filosofia de jogo, em golo. Por sua vez, o atual líder da Ligue1, através de um jogo mais intenso, pensado e apoiado do que os germânicos, prima pela sua grande solidez defensiva e pela sua movimentação atacante entusiasmante, extremamente veloz e agressiva. Para isso, atletas como Mbappé, Bernardo Silva, Mendy, Sidibe, Lemar e Germain são fundamentais para o cumprimento das ideias de Leonardo Jardim. Outra caraterística, dos monegascos é a excelente contribuição atacante oferecida pelos seus laterais, que assim conseguem criar superioridade numérica em vários lances e comprometer o rigor defensivo do adversário. Em suma, será um confronto agradável de assistir e certamente fará desta partida um hino ao futebol e relembrar a verdadeira essência do futebol.

No fundo, serão 4 partidas que irão prender todos os amantes do futebol ao ecrã, dada a qualidade das equipas em prova e pela competição se encontrar já numa fase adiantada e decisiva. Como sempre, cá estaremos para observar e assistir a cada segundo de magia, de emoção, de polémica e de genialidade, que cada jogo dará e assim aproveitar cada momento do melhor futebol da Europa.

quinta-feira, 6 de abril de 2017

Claques : Quando ultrapassam os limites

Neste post, o blog vai fugir um pouco do que é a sua linha editorial, pois o que vai lê não é propriamente sobre futebol, mas sobre algo que o envolve e suja a verdadeira essência do desporto rei, um assunto que deve preocupar as pessoas e levá las a pensar, se é este o caminho que querem seguir? Este rumo está a ser traçado por indivíduos, que apenas tentam manipular a opinião das pessoas, bem como defender os seus próprios interesses, estando se " nas tintas ", para a verdade desportiva ou para o bem comum. Este sentimento de opressão, de ódio, de violência que está a crescer no futebol nacional, é apenas criado pela sede de vitorias e de resultados que alguns clubes vivem, mais concretamente, os " três grandes ", que são os culpados pelo estado paupérrimo de valores em que caiu o desporto nacional. Atualmente, as claques, principalmente a do Porto e a do Benfica, são meios não oficiais dos clubes para executarem o trabalho obscuro, que os responsáveis desportivos pretendem, ou seja, exercer pressão sobre os maiores órgãos sociais do futebol português, isto é, sobre a Liga, sobre a Federação ( Forte pressão do Benfica à FPF com comunicados e exigências ) e sobre o conselho de arbitragem ( o episódio no centro de treinos na Maia ) com a finalidade de atingir o lugar mais cimeiro do campeonato luso, não olhando a meios para atingir os seus fins. Desta forma, é percetível que o contexto da palavra " claque " está totalmente fora do seu contexto, uma vez que estes agrupamentos de adeptos mais extremistas são uma associação de crime organizado, que usa o futebol para camafluar as suas verdadeiras intenções
A venda ilegal de bilhetes
. No entanto, é preciso afirmar que nem todos os elementos das claques são bandidos ou de mau caráter, visto que há pessoas que absorvem o verdadeiro significado do apoio incondicional à equipa e participam nestes grupos apenas para estarem mais perto do emblema que amam e poderem demonstrar todo o seu amor. Mas, generalizando, as pessoas que integram nas claques são mal vistas na sociedade, sendo consideradas perigosas, problemáticas e criminosas e, por isso, é usual ouvir expressões " não vais para ai porque é perigoso, ou " nessa zona só existe confusão ", ou " nesse local é só delinquentes ". Na atualidade, é este o ambiente que rodeia o exterior dos estádios lusos, uma vez que é frequente ocorrer cenas de pancadarias antes e depois dos jogos envolvendo adeptos de clubes rivais. Exemplos disso, são as viagens dos adeptos do Benfica, que ultimamente, têm estado em evidência, visto que nas suas visitas a Braga, a Paços e na receção ao Porto envolveram se, em situações repudiantes e condenáveis, que só ajudam a instalar o medo e assim afastar as pessoas dos palcos futebolísticos. Outro comportamento, negativo associado a estes grupos são as suas atividades ilegais que lhes permitem enriquecerem sem sofrerem as devidas consequências parecendo que possuem uma esfera protetora por estarem ligados aos clubes. Veja se como exemplo, a claque portista, os Super Dragões, que alimentam se economicamente pela venda ilegal de ingressos desportivos junto às bilheteiras do Dragão. Contudo, existe mais formas de angariar financiamento, como o tráfico de droga e assaltos, que devem envergonhar qualquer clube.
Agem como não houvessem leis
Por outro lado, as claques também têm aspetos positivos, como o apoio que oferecem ao espetáculo do desporto, dado que sem elas muito dos jogos seriam quase silenciosos e não se assistia à verdadeira festa do futebol. Também, proporcionam momentos de extrema felicidade para mais tarde recordar, tal como as viagens às mais variadas terras do país com os amigos, pois ajudam a reforçar o valor da amizade, do companheirismo e da felicidade.
Em conclusão, os dirigentes dos emblemas nacionais e da Liga têm de tomar medidas, para que algo mude, pois não se pode deixar andar este clima insustentável que afeta todos os indivíduos que nutrem paixão pelo futebol. Com isto, é necessário uma reforma desportiva, que introduza alguns pontos que venham ajudar a criar fair play fora dos campos, como banir alguns elementos mais polémicos e perigosos dos estádios, ameaçar os emblemas com jogos à porta fechada, caso o comportamento insurreto de alguns adeptos não mude e se for preciso atitudes mais extremas, a retirada de pontos na classificação devia ser uma realidade. Estas, são apenas algumas soluções que podem alterar o rumo de violência e de opressão, medidas conhecidas de todos e que em outros países já obtiveram resultados positivos. A questão que se impõem é : Será que há alguém com coragem, para tomar uma atitude?