segunda-feira, 20 de março de 2017

Mercado mexicano: o talento da América do Norte

O campeonato mexicano é conhecido por ter bons valores a jogar nas suas equipas. Nos últimos anos, temos visto sair daquele país da América do Norte alguns dos jogadores que têm agitado o futebol mundial, como Jackson Martínez e Javier " Chicharito " Hernández. Com efeito, cada vez mais o mercado europeu tem vindo a absorver atletas provenientes de equipas mexicanas e isso é visivel através dos casos de Carlos Salcedo, que assinou pela Fiorentina, de Enner Valencia, atualmente, no Everton, de Marcos Fabián, que está vinculado ao Frankfurt e dos " portugueses "  Héctor Herrera, Corona, Layún, Raul Jiménez e Diego Reyes, que estão espalhados entre Porto e Benfica, sendo que o último jogador referido está emprestado ao Espanyol por parte dos dragões. Porém, o México continua a respirar talento e qualidade e já há vários jovens promissores prontos para darem o salto para a Europa e brilharem nos principais palcos europeus. Deste modo, o Verdadedesportivaa360 vai escrever sobre 4 génios, que entende que estão prontos para marcar a diferença nas formações do " Velho Continente ".

Pineda: Um dos jogadores mais cobiçado, atualmente, no México é este médio de 20 anos que defende as cores do Chivas. Já, internacional pelo seu país, Orbelín Pineda tem despertado, recentemente, o interesse de grandes emblemas europeus, como é o caso do Benfica, Porto, Manchester United e City. Os motivos e os fatores, que têm maravilhado os olheiros dos diferentes clubes interessados na sua contratação, é a sua natural qualidade técnica e intensidade que consegue impôr no seu jogo. Com efeito, o jovem talento está habituado a jogar num sistema a dois no meio campo, estando mais apto para cumprir as tarefas ofensivas. Desta forma, o mexicano delicia, muitas vezes, os adeptos com os seus passes de rutura que colocam os seus colegas mais adiantados em posição de golo claro. Além disso, é sublime nos seus argumentos técnicos, uma vez que possuí uma excelente receção, colocação e progressão de bola. No entanto, o seu grande ponto forte é a sua visão/ leitura de jogo, visto que consegue sempre encontrar espaços, onde colocar o esférico e executar movimentos de rutura que desmancham qualquer defesa. Assim, este jovem dedica grande parte do seu jogo à distribuição e circulação de bola. Por outro lado, defensivamente, o ex futebolista do Querétaro não é tao competente como ofensivamente, dado que é algo débil fisicamente, o que provoca alguma ineficácia nos duelos físicos e não é tao exímio na marcação ao seu rival direto.

Lozano: Talvez o nome mais sonante e conhecido desta lista, uma vez que as suas exibições e performances já transbordam as fronteiras mexicanas, que já parecem pequenas para tanto talento. Formado no Pachuca, seu atual clube, " Chucky ", como é apelidado, é uma das grandes referências do campeonato mexicano, já que é um dos atletas que mais entusiasma os campos daquele país da América do Norte. Dentro das quatro linhas, tanto pode atuar nas alas como a " 10 ", devido à sua enorme capacidade técnica, visto que apresenta um drible fora do comum, uma visão de jogo acima da média e uma facilidade fantástica para utilizar os dois pés. De igual modo, evidencia se pelas suas fortes desmarcações e o seu forte remate colocado, que faz dele um dos principais goleadores da sua equipa. Todas, estas caraterísticas são excelentes indicadores que estamos diante de um futebolista com imenso potencial e um futuro risonho, estando preparado para brilhar na mais alta roda europeia.

César Montes: Outro jovem que está afirmar se na principal competição do México é este defesa central de 20 anos, que devido ao seu potencial e às suas qualidades já é apontado como o novo " Rafa Márquez ", principal referência defensiva da seleção mexicana. Apesar da sua juventude, demonstra ter uma fantástica maturidade em campo que lhe permite ser eficaz nos duelos individuais, ou seja, possuí um " timing " perfeito para executar o corte e atua bem na antecipação ao atacante. Também, face ao seu 1,94 m de altura é muito forte no jogo aéreo, limpando todas as bolas pelo ar e defende se muito bem da profundidade, dado que não é um jogador veloz, mas graças à sua boa leitura de jogo consegue esconder essa sua fraqueza. Por outro lado, também se dá a conhecer pela sua capacidade na saída de bola, pois assegura qualidade no momento de construção/ circulação de bola, quer através do passe curto, quer através do passe longo.

Javier López: Terminamos esta nossa viagem pelo México com outro " pequeno " prodígio do " Chivas ", Javier López. Quem acompanha a sua carreira sabe que é usual vê lo brilhar no " miolo " do terreno, zona que gosta de dominar e controlar. O seu estilo futebolístico passa por pegar e construir jogo, bem como progredir com bola e assim agitar a dinâmica ofensiva do seu conjunto e o ritmo da partida. Importante, nas tarefas que envolvem o ataque, este médio tem evoluido no aspecto da decisão e da definição, sendo atualmente mais propoderante nas ações da sua formação. Fisicamente, o seu cartão de identidade não regista as melhores aptidões, mas neste caso é preciso afirmar que é pequeno no cartão de cidadão, contudo gigante dentro de campo. Por fim, Javier tem condições para ingressar no futebol europeu, no entanto, neste momento necessita de crescer mais um pouco, isto é, um período de adaptação para se habituar à intensidade e às caraterísticas europeias, porém seria uma boa opção para qualquer um dos " três grandes " portugueses

Sem comentários:

Enviar um comentário