sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Reforços a " custo zero "- Parte 2

No calendário geral das pessoas, o mês de Dezembro significa os últimos 31 dias do ano civil e, consequentemente, o inicio das celebrações das festas de Natal e de Ano Novo, ou seja, um tempo de paz, de tranquilidade e de solidariedade entre as pessoas. Contudo, no mundo de futebol, indica o aproximar do mercado de Janeiro, um período em que os clubes podem retocar e solidificar os seus planteis conformes os objetivos definidos para o resto de época e o momento em que começam a preparar a próxima temporada, uma vez que chegou a altura de atacar os alvos " a custo zero " , isto é, os jogadores que vêem os seus vínculos a terminar no mês de Junho do ano seguinte e, por isso, têm liberdade para assinar por qualquer clube, sem qualquer contrapartida financeira para o emblema que representam. Desta forma, vários futebolistas já provocaram autênticas transferências surpresas, como foi, recentemente, o caso de Lewandowski e de Carrillo que se transferiam para o emblema rival do então clube representado, mais precisamente do Dortmund para o Bayern e do Sporting para o Benfica, respetivamente. Com este propósito, o VerdadeDesportivaa360 fez o seu trabalho de casa e foi descobrir os atletas mais apetecíveis,  nestes moldes, e verificou que existem vários negócios vantajosos, nomeadamente, para os " três grandes ", tais como o de Andrew Robertson ( Hull City, Inglaterra ), o de Luciano Narsingh ( PSV, Holanda ), o de Valetin Eysseric ( Nice, França ) e o de Gonzalo Rodriguez ( Fiorentina, Itália ). Assim, como noutros artigos publicados, partimos para uma análise individual sobre cada futebolista apresentado, nesta segunda parte do post.

Andrew Robertson: O talentoso defesa esquerdo escocês, chegou ao Hull City, em Junho de 2014, proveniente do Dundee United, num valor a rondar os 3,6 milhões de euros. Apesar de, oficialmente, o seu contrato expirar a 30 de Junho de 2017, a direção do Hull tem direito a estender, por mais uma época, o vinculo do atleta. Se, o emblema inglês decidir por não exercer o seu direito, vários clubes têm aqui uma excelente oportunidade de negócio, que renderá, certamente, desportivamente e financeiramente. Na vertente futebolística, o jovem lateral destaca se pela sua envolvência no momento ofensivo, uma vez que é rápido e possuí um " mágico " pé esquerdo, que serve com uma enorme eficácia, através de cruzamentos e de passes, os avançados da sua equipa. Desta forma, o seu estilo assemelha se aos laterais de formações de grande dimensão, pois não é de " chutão " para frente, ou seja, gosta de sair a jogar com a bola colada ao relvado e ao seu pé e, assim subindo no terreno, de uma maneira elegante e assertiva. Por outro lado, defensivamente não é tao forte como ofensivamente, mas não é por isso que é fraco no período defensivo, pelo contrário é bastante forte nos duelos individuais e demonstra uma boa dose de seriedade e de concentração que o torna num defesa sólido. Contudo, tem sérias dificuldades no jogo aéreo, aspecto que melhorará com o passar do tempo. No geral, Robertson poderia ser uma boa opção para o Sporting ( que não encontra estabilidade e segurança nesta posição ) e para o Benfica ( que não tem a continuidade de Grimaldo assegurada e não deverá renovar com Eliseu )

Luciano Narsingh: O extremo holandês chega ao seu último ano de contrato com o PSV, como uma das principais estrelas da equipa e sendo a sua maior referência atacante. De facto, o desiquilibrador ofensivo do conjunto de Eindhoven é quase sempre um motivo de dor de cabeça para os defesas que enfrenta, uma vez que é bastante eficaz no 1 vs 1, visto que bate facilmente o seu opositor com a sua velocidade característica e o seu drible refinado. Além disso, é muito forte, nas transições ofensivas, pois, é sempre, uma " seta " apontada à baliza contrária. Quem decidir avançar para a sua contratação poderá ganhar um ala muito interessante, dado que trará experiência, dinâmica, velocidade e profundidade à formação que adquirir os seus serviços. Mas, como todos os jogadores tem os seus defeitos ou fragilidades no seu jogo e no seu caso é o contributo defensivo, visto que nunca baixa para auxiliar o lateral do seu lado e obriga aos elementos do meio campo a um esforço extra. Tirando, este aspecto, Narsingh será sempre uma aposta acertada e, por exemplo, no campeonato português faria, certamente, muitos estragos e diferença. Nesta altura, seria fundamental na equipa do Porto, que necessita dum extremo com as suas características e na equipa do Sporting, que assim ganhava uma alternativa viável a Gelson Martins.

Vicent Esseyric: Formado nas escolas do Mónaco, o centro campista tem sido um dos responsáveis pela grande época que o Nice está a protagonizar, ou seja, tem garantido qualidade e combatividade no miolo da equipa gaulesa. Titular indiscutível na formação orientada por Lucien Favre, Eysseric é dos jogadores fundamentais, para que a estratégia do líder do campeonato francês funcione, uma vez que, através da sua qualidade de passe e da sua criatividade consegue lançar rápidos contra ataques, enquanto que defensivamente é um atleta que ganha vários duelos individuais, isto é, um recuperador de bolas que permite manter a solidez defensiva da sua equipa. De igual modo, o médio criativo pode desempenhar várias posições durante a partida, isto significa que tanto pode aparecer como a " 8 ", a " 10 ", a " 7 " e a " 11 ". Esta polivalência é um dado muito interessante para os seus treinadores, que assim podem explorar esta sua característica, que dá muita profundidade ao plantel, em termos de opções. Por fim, o francês, em Portugal, caberia muito bem no plantel do Sporting, pois com a sua criatividade e a sua visão de jogo daria dinâmica ao futebol leonino e podia ser o cérebro que falta à equipa de Jorge Jesus.

Gonzalo Rodríguez: Terminamos a nossa lista com este excelente defesa central de 32 anos, que tem lugar em qualquer equipa do nosso campeonato. A, sensivelmente, 6 meses de terminar contrato com a Fiorentina, o argentino chegou à Cálcio no verão de 2011 proveniente do Villarreal de Espanha, que nessa época tinha descido até à segunda liga espanhola. Em Itália, joga no meio de um eixo defensivo composto por 3 centrais e, na verdade, não podia está a correr da melhor forma a sua experiência na Seria A, pois tem sido um verdadeiro patrão, na formação de Paulo Sousa. Bastante, concentrado, dificilmente, perde um duelo individual, devido ao seu enorme sentido posicional e à sua forte capacidade de desarme. Também, sabe dobrar muito bem os seus companheiros e assim apagar os fogos que aparecem na sua área defensiva. Ofensivamente, é uma arma secreta nos lances de bola parada, como provam o seu histórico de golos, nos últimos anos, contabilizando números interessantes para um defesa. Outro aspecto, que recomenda a sua aquisição, é o facto de possuí uma boa qualidade técnica individual, que traduz uma enorme segurança na saída de bola,por outras palavras, prefere sair a jogar pelo chão do que mandar chutão para a frente. Em suma, este futebolista é sinal de experiência, de segurança, de solidez defensiva e presença aérea nas bolas paradas, trazendo impacto imediato para qualquer conjunto português.

1 comentário:

  1. Boas,

    Votem na sondagem que diz respeito ao melhor guarda-redes da Primeira Liga da época 2016/2017 em https://galaxiafutebolistica.blogspot.pt/

    Abraços

    ResponderEliminar