domingo, 25 de setembro de 2016

Jogadores a seguir na Liga Portuguesa ( Parte1)

Matheus Índio ( Estoril ) : O jovem canarinho, de apenas 20 anos, chegou esta época ao Estoril por empréstimo com opção de compra, oriundo do Vasco da Gama. O jogador, desde cedo, se destacou nas várias etapas da sua formação, sendo considerado como uma das estrelas em ascensão da equipa brasileira. Fruto do seu pé esquerdo mágico, o avançado brasileiro pode atuar em todas as posições do ataque e tem como principais carectiristicas o drible, a criatividade, o remate longo, a velocidade e o critério com bola. Neste inicio de temporada, Matheus tem conseguido impôr se no onze, de Fabiano Gonçalves, registando já dois golos, um deles de canto direto
Mattheus Oliveira ( Estoril ) : Filho de um ex-internacional brasileiro, Bebeto, Mattheus é mais um jogador do Estoril que aparece, nesta lista. O jovem de 21 anos chegou a Portugal, em Janeiro de 2015, realizando ,apenas, 4 jogos até ao fim da temporada. Na época transacta, o médio ofensivo conseguiu afirmar se no conjunto estorilista através da sua agressividade com e sem bola, pelo seu drible, forte remate, visão de jogo, transporte de bola e facilidade de encontrar espaços e soluções no meio campo ofensivo. Estas qualidades fazem de Mattheus um dos jogadores mais fortes e interessantes do campeonato português.
Bukia ( Boavista ) : Tendo passado pela formação do Penafiel e do Braga, o jovem boavisteiro é mais um talento da nossa liga que promete agitar com as defesas contrárias. Bukia foi encontrado pelo clube da cidade invicta, no Vila Real, que atua nas divisões inferiores do futebol português. Esta subida brusca de patamar na vida futebolistica do extremo não o intimidou de agarrar a titulariedade no Boavista, de Edwin Sánchez, visto que é dono de uma excelente técnica individual aliada à velocidade que imprime no seu jogo, na facilidade de ultrapassar no 1 vs 1 e à sua irreverência. Por fim, a sua regularidade exibicional, apresentada, neste inicio de época, promete fazer do jogador uma das revelações, deste campeonato.
Gil Dias ( Rio Ave ) : Protagonista da equipa do Braga que se sagrou campeã nacional de juniores, em 2013/2014, o jovem brilha, agora, no futebol sénior pela camisola do Rio Ave. Após, essa brilhante conquista, enquanto júnior, Gil Dias transferiu se para o Mónaco, mas nunca conseguiu encontrar espaço na formação francesa. Por isso, o médio ofensivo/extremo voltou ao seu país para jogar no Varzim e no Rio Ave, por empréstimo da equipa treinada por Leonardo Jardim. Depois, da primeira cedência ter sido positiva ao serviço do Varzim, o internacional sub-19 por Portugal, voltou aceitar o convite de Nuno Capucho ( seu técnico no Varzim ) e assinou pelos vilo condenses até ao final da época. Deste modo, a sua estreia na primeira liga não podia estar a correr melhor, dado que está a conseguir mostrar todo o seu potencial. As melhores qualidades que o definam é o excelente toque de bola, a velocidade, o drible, a finalização e a facilidade de criar desiquilibrios na defesa adversária. Tudo isto faz com que Gil Dias seja um jogador para manter debaixo de olho, durante esta temporada.
João Pedro ( Vitória de Guimarães ) : Forte aposta do novo timoneiro do Guimarães, Pedro Martins, o médio vitoriano não podia está a responder da melhor forma ao seu treinador, visto que tem se exibido a grande nível, no meio campo do Vitória. Usado, num esquema com duplo pivot, João Pedro tem sido parceiro de Rafael Miranda e os dois têm protagonizado uma das duplas mais sólidas e coesas do nosso campeonato. Com uma qualidade técnica e toque de bola acima da média, o português tem vindo a espalhar classe, por terras de D.Afonso Henriques. De igual forma, o número 58 dos vitorianos evidencia uma forte cultura tática, uma agressividade no posicionamento em campo, acrescenta qualidade na primeira fase de construção e imprime dinâmica, no modelo de jogo de Pedro Martins, com a sua visão e qualidade de passe. Tudo isto, faz com que o seu nome já tenha sido associados a clubes, como o Porto.
Raphinha ( Vitoria de Guimarães ) : Terminamos esta lista com mais um jogador do Vitória de Guimarães, desta vez com Raphinha. O extremo é mais daqueles típicos alas brasileiros, isto é, senhor de uma técnica apurada, que associada a habilidades como a irreverência, como a finta, como o drible e como a rapidez fazem com que tenha uma facilidade enorme de furar e desconcertrar defesas rivais. Todas estas características, o transformaram como  uma peça importante do esquema do Guimaraes, uma vez que oferece e garante qualidade ao plano ofensivo dos vitorianos. Desta maneira, o jovem canarinho tem sido fundamental no grande início de campanha protagonizado pela formação nortenha, na Liga Nos.

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

As novas pérolas dos três grandes

Gelson Martins: Nascido em Cabo Verde, o jovem de 21 anos sempre teve uma vida ligada ao futebol. Desde de criança, que Gelson , juntamente, com o irmão viam e jogavam futebol juntos. O extremo leonino teve como primeira referência futebolística, Robinho, que na altura atuava no Santos. Aos 8 anos, o jogador viaja para Portugal e começa a jogar pelo Futebol Benfica. Neste clube, o internacional esperança por Portugal, rapidamente, dar nas vistas e capta o interesse dos principais clubes de Lisboa, Sporting e Benfica. Nesta luta, o Sporting acaba por ganhar e garantir os serviços do jovem que assim chega a Alvalade. Nos verdes e brancos, o futebolista tem vindo a ganhar protagonismo e a cada época que passa, primeiro na equipa b, em que termina a temporada 2014/2015 em evidência, depois com Jorge Jesus, na época passada, onde conquista o seu espaço no plantel e por fim, nesta tempoorada, visto que tem estado em grande forma nos jogos leoninos. Prova disso, foi a última partida para a champions, em que Gelson mostrou ao mundo todas as suas qualidades , em pleno Santiago Bernabéu. A sua velocidade, drible, irreverência e forte movimentação já vai merecendo atenção de todos e do próprio Sporting , que já tenta blindar a sua nova pérola.

André Horta: O irmão mais novo da família Horta sempre teve uma paixão imensa pelo futebol e pelo Benfica. O jovem jogador iniciou o seu percurso no mundo da bola, no emblema encarnado, mas a meio da sua formação como futebolista foi parar a Setúbal. No clube sadino, André encontrou o protagonismo e o espaço que necessitava para poder afirmar se no futebol português. O médio, desde cedo se assumiu como um dos valores de Setúbal e por isso teve a sua estreia na primeira liga, com apenas 18 anos. O seu jogo de estreia foi contra o Boavista alinhando nos segundos 45 minutos da partida. Apartir desse jogo, o jovem de 20 anos pegou de estaca no meio campo do Vitória, destacando se pela sua regularidade exibicional. Por essa razão, Horta começa a ver o seu nome associado a vários clubes e a sua saída era quase um dado certo, até que, o seu maior desejo se concretiza, ou seja, o regresso ao seu Benfica. Nesta segunda etapa pela Luz, André entrou no Seixal por baixo, ou seja, não era visto como primeira opção para a equipa inicial, mas logo no primeiro dia que entrou no centro de treinos do Benfica, o jovem médio mostrou que estava ali para lutar pelo seu lugar no onze. A sua motivação e força mental foram crescendo de dia para dia e o jogador encantou os adeptos com as suas performances, nos jogos amigáveis. Mas, não encantou só os adeptos, como deliciou o treinador que tem apostado nele, neste inicio de época e o jovem não podia responder da melhor maneira à aposta de Rui Vitória. Com boas exibições e um golo marcado, frente ao Tondela, o português tem se evidenciado pela sua maneira de pressionar os espaços, de ligar os setores da equipa, de aproximação à área contraria e pelo equilíbrio dado ao meio campo encarnado.

André Silva: A nova pérola dos dragões iniciou o seu percurso no futebol pelo Salgueiros, nesse clube da cidade do Porto, o jovem transferiu se para o Boavista, mas apenas permaneceu lá uma temporada. Após um ano sem grandes motivos para sorrir, o avançado volta para o seu primeiro emblema no mundo da bola e aí volta a encantar. Após uma partida, entre o Salgueiros e o Porto, que teve como maior protagonista, André Silva, o emblema azul e branco não perdeu tempo e consegue adquiri lo ao Salgueiros. No primeiro ano, como jogador do Porto, o internacional português joga emprestado no Padroense. No ano seguinte, o jogador voltou do empréstimo e permaneceu até aos dias de hoje, no clube da invicta. Aí deu continuidade ao seu crescimento e foi destacando se pelo os azuis e brancos e pelas seleções nacionais jovens. Brilhou no campeonato da europa de sub-19, em Israel e no campeonato mundial de sub-20, na Nova Zelândia. Após encantar nos torneios internacionais, o jovem afirmar se na equipa secundaria do Porto e na temporada passada com um grande inicio de época pelo Portob, o número 10 dos dragões começa a integrar nos trabalhos da equipa A e faz a sua estreia oficial, na taça da liga contra o Marítimo. Apesar, de estrear se na equipa principal , o seu inicio não foi prometedor, mas com José Peseiro, o jogador volta a ganhar protagonismo , no clube da Norte acabando a época em grande estilo, pelos golos marcados no Jamor. Agora, com orientação de Nuno Espírito Santo, o dianteiro português ganhou a titularidade e tem na justificado com excelentes prestações e golos, que já são 3, em todas as competições, tendo já sido decisivo em dois jogos, ou seja, contra o Estoril e contra a Roma, no Dragão. Com a sua identidade " à Porto " aliada à técnica, à movimentação exercida na linha ofensiva e ao facto de não se esconder do jogo vindo fazer muitas das vezes de elo de ligação entre o meio campo e a zona de finalização, tem conquistado o mundo do futebol. 

sábado, 17 de setembro de 2016

VerdadeDesportivaa360

Hoje, é com orgulho e satisfação que anuncio o começo deste blog. Num espaço que será dedicado, essencialmente, ao desporto e artigos de opinião desportiva, espero que todos consigam disfrutar deste novo local virtual. Todos que visitarem o blog poderão contar com um trabalho sério e imparcial. Por fim, desejo que todos possam contribuir com a sua ajuda, quer seja através de comentários, quer seja através de artigos de opinião.